Histórico do Programa

O Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada (PGCA), da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), foi aprovado pela CAPES em 2013.

O Contexto

“Nas últimas duas décadas os avanços na tecnologia da computação, na velocidade de processamento à capacidade das redes de computadores e à internet, tem revolucionado a maneira como cientistas trabalham. De sequenciamento de genomas ao monitoramento do clima da Terra, muitos avanços científicos recentes não seriam possíveis sem um aumento paralelo em poder computacional - e com tecnologias revolucionárias como a computação quântica entrando na fronteira da realidade, onde a relação entre computação e ciência nos levará nos próximos 15 anos?” (revista Nature 440, 2020 -Future of Computing, veja também Towards 2020 Science, Microsoft)

A história da computação e seus avanços tecnológicos estão fortemente conectados à sua aplicação em diversas áreas de conhecimento. A computação deve muitos dos seus desenvolvimento tecnológicos a demandas de aplicações em diversas ciências e engenharias, e estas ciências e engenharias tem se revolucionado pela aplicação da computação. De um lado, novos equipamentos, técnicas e sistemas computacionais surgem para apresentar novas soluções e metodologias nas ciências e engenharias. Por outro lado, estas ciências e engenharias sofrem mudanças e ganham avanços consideráveis pela sua convergência à computação.

Esta confluência entre a computação e as ciências e engenharias fez surgir uma diversidade de novas áreas de pesquisa, como física computacional, astroinformática, biologia computacional, bioinformática, engenharia computacional, matemática computacional, tecnologias educacionais, informática biomédica, computação social, linguística computacional, ciência cognitiva computacional, filosofia computacional além de computação científica, modelagem computacional, e-science. Acompanhando o surgimento destas áreas, diversos periódicos científicos surgem dedicados exclusivamente a estas áreas, assim como outros incluem estes temas em seus tópicos de interesse.

A proposta do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada parte, portanto, do princípio de que a computação não deve ser vista como uma área de conhecimento fechada em si, mas tornou-se método e tecnologia científica única e indispensável em todas as áreas do conhecimento. E esta interação da computação com outras áreas tem efeitos nos dois sentidos, uma vez que entendemos que todas as áreas de conhecimento podem não só demandar como também gerarem temas de pesquisa e desafios para a computação, independentemente de aplicações imediatas.

Desta interação interdisciplinar da computação com outras áreas de conhecimento, surgem novas pesquisas, novas metodologias e novas soluções. De fato, a influência mútua entre a computação e outras áreas já irá ocorrer dentro do próprio programa, entre as linhas de pesquisa em Computação Aplicada à Ciência e Engenharia e em Tecnologias da Computação, mas também encontra novos espaços no intercâmbio de conhecimentos com os demais programas de pós-graduação da própria universidade e também com outras instituições.

Há uma tendência de que as ciências e engenharias se utilizem cada vez mais de métodos computacionais para solução de problemas. Essa tendência acaba por requerer profissionais com competência interdisciplinar para o uso da computação como atividade meio na obtenção de resultados. Considerando que os cursos de graduação nas áreas das ciências experimentais ainda carecem de uma formação específica em computação e que os cursos de computação geralmente não focam em aplicações da computação nas ciências e engenharias, um curso de pós-graduação que possa unir a aplicação da computação às ciências e engenharias na formação de profissionais com competência em computação científica e aplicada. Dessa forma, o PGCA tem como público alvo egressos dos cursos de graduação em que a computação possa ser aplicada como facilitadora de experimentos ou como meio para solução de problemas que seriam intratáveis sem o seu uso.

Objetivo e Perfil do Egresso

O Mestrado em Computação Aplicada se propõe a gerar conhecimentos e formar profissionais capazes de desenvolver atividades de pesquisa e docência, capacitando-os a atuar com qualidade tanto na academia quanto na indústria, e em outros setores da sociedade. Para buscar esse objetivo, os estudantes receberão uma formação multi/inter-disciplinar, além de uma orientação específica em metodologia de pesquisa.

A evolução tecnológica tem possibilitado as áreas de ciências e engenharias utilizarem as técnicas computacionais para resolver uma série de problemas como a construção e mineração de bases de dados científicos, predição de atividade biológica, modelagem de astros e moléculas, diagnóstico médico auxiliado pelo computador, dentre outros. Diante destes aspectos, o Programa de  Pós-Graduação (Interdisciplinar) em Computação Aplicada visa integrar a computação e as ciências e engenharias para o desenvolvimento de trabalhos no qual seja possível resolver problemas pela convergência do conhecimento e metodologias entre estas áreas. Isso poderá ser obtido por meio de co-orientações e trabalhos em conjunto, atividades que serão muito estimuladas pelo programa, uma vez que, constituem a sua base principal que é a interdisciplinaridade.

Com a integração e convergência de conhecimentos da computação com os das ciências e  engenharias, o programa de pós-graduação busca capacitar seus egressos na aplicação da computação como ferramenta na solução de problemas nestas áreas. Paralelamente, é também intenção do curso permitir que parte dos seus estudantes se debrucem sobre a tecnologia da computação com potencial de aplicação às ciências e engenharias e às demais demandas tecnológicas, buscando novas soluções e abordagens para os problemas da computação como atividade fim.

O programa de pós-graduação está aberto a um público diversificado, advindo de formações disciplinares em ciências e engenharias assim como da computação, oferecendo a eles uma formação interdisciplinar, o curso pretende que seus  egressos tenham uma visão sistêmica e possam atuar como agentes de evolução da realidade local, atuando na academia, na indústria e nos outros diversos setores da sociedade.